sexta-feira, maio 23

Jornal Monitor Campista

Casos de família
Grupo Os Ciclomáticos apresenta peça baseada em obra rodriguiana, sábado, no Festival de Teatro de SJB

ACESSÓRIOS - Leques e saias fazem parte do figurino e têm uma ligação forte com a história, montada mediante uma pesquisa sobre a diversas obras do dramaturgo Nelson Rodrigues

Por Alicinéia Gama- Jornal Monitor Campista


A adolescente de 14 anos, Alice, é a mais nova de seis irmãs. Em visita ao ginecologista, ela descobre que está grávida. Um verdadeiro caos é instaurado na família, seguido de um falatório na vizinhança. O desenrolar desta trama (afinal, quem é o pai do bebê?) é o fio de conduta da peça ‘Sobre mentiras e segredos’, atração do sábado, dia 24, no II Festival de Teatro de São João da Barra.
A comédia, baseada em um estudo sobre o universo de Nelson Rodrigues, será apresentada pela companhia de teatro Os Ciclomáticos, com texto e direção de Ribamar Ribeiro. A partir da gravidez da jovem, todos os segredos e mentiras vão surgindo. No elenco: Renato Neves, Juliana Santos, Fabíola Rodrigues, Fernanda Dias, Carla Meirelles, Fernando Alves, Márcio Vieira, Getúlio Nascimento, Gisele Flor, Júlio Cesar Ferreira, Malu Saldanha, Mauro Carvalho e Nívea Nascimento.
Segundo Ribamar, o espetáculo estreou em 2006, quando a trupe comemorou 10 anos de trabalho. “Na época, decidi trazer à tona um estudo da obra de um dos grandes autores da dramaturgia nacional e mundial: Nelson Rodrigues. E como diretor artístico, percebi que poderíamos comemorar a trajetória com um texto novo de um Nelson que não é Nelson: a comédia, baseada em um estudo sobre o universo de Nelson Rodrigues, mas com uma nova roupagem”, explica.
A proposta de uma nova leitura de sua obra tem uma razão especial. “O que servirá de base para a dramaturgia deste texto não é um texto já feito para o teatro, mas um estudo que serviu de arcabouço para o mergulho no universo tragicômico deste autor (pode parecer estranho, mas Nelson possui humor ácido, cruel, sarcástico e intensamente brasileiro). Por isso foi importante esmiuçar esta brasilidade com seu cômico desengonçado, sua crueldade adocicada, esta antropofagia, este comer o outro, falar do outro, querer saber da vida do outro”, observa o diretor.
Ribamar ressalta ainda que aí está o paralelo de Nelson e Os Ciclomáticos, que nasceu no subúrbio carioca, compreende as mazelas, situações, alucinações e os surrealismos que só quem vivenciou e presenciou na verve conseguirá transpor à cena com uma linguagem objetiva e de qualidade, através da brasilidade e multifacetadas referências. “Este Nelson ingenuamente despudorado e fascinante de gargalhada larga e escancarada e que, às vezes, quase sempre, ri da desgraça alheia porque também é um desgraçado!”, comenta.
Há pouco mais de um ano em cartaz, ‘Sobre mentiras e segredos’ já foi apresentada em vários festivais nacionais e internacionais de teatro do Rio de Janeiro, Espírito Santo, Paraná, Minas Gerais, Goiás, São Paulo e em várias cidades do interior de São Paulo. Cerca de 10 mil pessoas, já assistiram à peça que já coleciona 55 prêmios, sobretudo em categorias como melhor texto, direção e espetáculo (só a Ciclomáticos possui mais de 150 prêmios em seu currículo).
Além de refletir sobre a gravidez na adolescência, o texto da montagem leva à discussão sobre comportamento, casais que não conhecem a si mesmos e pessoas que desconhecem seus próprios impulsos. “Inseri personagens característicos das obras do autor de ‘Vestido de Noiva’ e ‘Senhora dos Afogados’, como é o caso da ninfeta Alice, os cunhados, os vizinhos fofoqueiros e os pais atordoados”, adianta.
— Neste ano, estamos de viagem marcada para Portugal onde a peça será levada para nossos colonizadores, que provavelmente foram os pioneiros em matéria de fofoca no Brasil. Todo mundo acaba se vendo um pouco nessas apresentações, inclusive eu que fui criado no subúrbio carioca, onde o hábito do “diz-que-diz-que” é bastante comum — destaca Ribamar.
Ele conta ainda que não quis usar apenas o lado dramático de Nelson. “Preferi o deboche, o humor sarcástico, a possibilidade de as pessoas verem e pensarem ‘será que posso rir disso’? Não quis nada que já foi televisionado, mas algo mais moderno”, explica, acrescentando que a história desenvolve-se em meio a sons de violinos e bater de leques.
— Os leques se transformarão em instrumentos musicais nas mãos de todo o elenco, além de ser um sinal de que o personagem se transforma em outro durante a apresentação. Além de marcar o tempo na comédia, os leques são usados para apagar o fogo proibido dos personagens. Lembra também os morcegos, a língua humana, o ato de sugar. Tudo que lembre fofoca e o que é proibido — diz.
Todos os personagens, com exceção do pai de Alice, usam saias, independente de serem homens ou mulheres. Já que o elenco, menos Alice e seus pais, se transformam em vizinhas fofoqueiras no decorrer da apresentação. “Outro fato interessante é que os nomes dos personagens são homônimos de parentes dos atores da peça, já que a pesquisa para montagem do espetáculo foi feita em cima de fotos de família. Toda família tem problema, mas em foto está todo mundo rindo”, observa.
Esta é a primeira vez que a trupe participa do Festival de Teatro de SJB e a expectativa é a melhor possível. “Vamos com grande prazer, pois temos uma ligação muito forte com Campos dos Goytacazes onde já apresentamos vários espetáculos de nosso repertório, inclusive no Sesc e na Fundação Trianon. É a primeira vez que vamos a São João da Barra e fiquei muito feliz de ter a oportunidade, juntamente com a companhia, de estar nesta cidade”, conta Ribamar, enfatizando a importância de uma festival para as companhias de teatro.
— É de suma importância esta iniciativa, pois as companhias de repertório e pesquisa continuada (que é o nosso caso) têm a oportunidade de trocar com outras companhias e principalmente levar a públicos diferenciados a sua linguagem e pesquisa cênica.Espero que o público divirta-se e aprecie o trabalho da companhia. E quem quiser conhecer mais pode acessar o nosso blog www.osciclomaticos.blogspot.com ou o meu site www.ribaribeiro.com! — informa.

AMANHÃ


Já nesta sexta, o grupo carioca Círculo Teatral apresenta ‘Pequenas Sagas Nordestinas’ — outra adaptação de Ribamar Ribeiro (que também assina a direção). Em cena, o elenco apresenta as aventuras e desventuras do povo nordestino. “Pequenas Sagas Nordestinas partiu do tema sertão trazendo à tona autores renomados como Drummond, Graciliano Ramos e que foram traduzidos e recompostos para o universo seco e ambíguo do sertão”, informa Ribamar, enfatizando que a peça recebeu o prêmio de Melhor Espetáculo no Festival Nacional Estudantil de Belo Horizonte.



SOBRE O FESTIVAL


O Festival de Teatro de SJB acontece até o dia 31 e cada peça é apresentada em duas sessões: às 17h e 20h. A entrada é franca, mas quem desejar, pode levar 01 livro não didático para a campanha de doação de livros que o teatro vem mantendo durante sua programação ou 1kg de alimento não-perecível para ser doado às famílias carentes do município.
Os espetáculos concorrem aos seguintes prêmios: 1º lugar, R$ 4.000,00; 2º lugar, R$ 2.000,00 e 3º lugar, R$1.000,00, e troféus. As demais categorias vão receber apenas troféus.


PRÓXIMAS MONTAGENS


Pequenas Sagas Nordestinas (Grupo Círculo Teatral)Dia 24



SOBRE MENTIRAS E SEGREDOS


Dia 23/05, em duas sessões: 17h e 20h


Duração: 1h30Classificação etária: 16 anos.


Cine Teatro São João

Um comentário:

Anônimo disse...

Aprendi muito