quinta-feira, fevereiro 21

Uberlândia

A vida alheia sempre rende um papo
"Sobre Mentiras e Segredos", com Os Ciclomáticos, está no Rondon Pacheco
Repórter
Atualizada: 13/02/2008 - 20h07min


Quem nunca guardou um segredo a sete chaves, não mentiu nem reprimiu um desejo ou até mesmo não se meteu na vida alheia, sem ao menos se dar conta do próprio umbigo? Nem é preciso assumir. Basta assistir à peça "Sobre Mentiras e Segredos" do grupo carioca Os Ciclomáticos, às 20h, no
Teatro Rondon Pacheco e provavelmente chegará até o fim da história pensando um pouco mais sobre o assunto, se é que a carapuça serviu.


A comédia, baseada em um estudo sobre o universo de Nelson Rodrigues, mas com uma nova roupagem, será o espetáculo deste segundo dia da Mostra Nacional de Teatro de Uberlândia — 4ª edição — patrocinada pelo CORREIO de Uberlândia.
Apesar de nunca terem vindo aqui, o diretor da peça, Ribamar Ribeiro, e os atores já estão antenados sobre algumas particulares da cidade que serão tratadas na apresentação, um suspense para logo mais. “Estamos ansiosos para conhecer Uberlândia, mas já ouvimos falar algumas coisinhas”, brinca. “Ficamos muito felizes em ser selecionados para esta Mostra que tem o grupo Galpão, eles são maravilhosos”, comemora Ribamar. O diretor, além de ter se inteirado sobre o cotidiano da cidade, mencionou sobre o trabalho do colega, o ator e diretor Jorge Farjalla, que foi professor da Universidade Federal de Uberlândia (MG) e hoje coincidentemente trabalha Nelson Rodrigues em uma peça no Rio de Janeiro.

Há pouco mais de um ano em cartaz, “Sobre Mentiras e Segredos” já foi apresentada em festivais de teatro do Rio de Janeiro, Espírito Santo, Paraná, Minas Gerais, Goiás e em várias cidades do interior de São Paulo. Assistido por aproximadamente 10 mil pessoas. Com a montagem, o grupo já colecionou 55 prêmios, sobretudo em categorias como melhor texto, direção e espetáculo. Na próxima semana será a reestréia da peça no Teatro Miguel Falabella, no Rio de Janeiro, onde tudo começou. Neste ano, eles também estão de viagem marcada para Portugal, onde a peça de hoje será levada para nossos colonizadores, que provavelmente foram os pioneiros em matéria de fofoca no Brasil. “Todo mundo acaba se vendo um pouco nessas apresentações”, analisa o diretor, que foi criado no subúrbio carioca, no bairro da Tijuca, onde, de acordo com ele, o hábito do “diz-que-diz-que” é bastante comum.

Trama

Produzida para comemorar os 10 anos de fundação do grupo Os Ciclomáticos, a peça narra a história da adolescente Alice, mais nova de seis irmãs. Em visita ao ginecologista, ela se descobre grávida aos 14 anos.

A gravidez da jovem instaura o caos na família e o falatório na vizinhança. A situação acaba trazendo à tona segredos e mentiras que permeiam os relacionamentos entre pais e filhos. O grande suspense da narrativa, segundo o diretor Ribamar Ribeiro, é descobrir quem é o pai do filho de Alice.

Além de refletir sobre a gravidez na adolescência, o texto leva à discussão sobre comportamento, casais que não conhecem a si mesmos e pessoas que desconhecem seus próprios impulsos. Ribamar Ribeiro escreveu a peça a partir do conto “A Mentira”, de Nelson Rodrigues. Inseriu personagens característicos das obras do autor de “Vestido de Noiva” e “Senhora dos Afogados”, como é o caso da ninfeta Alice, os cunhados, os vizinhos fofoqueiros e os pais atordoados. “Não quis usar apenas o lado dramático de Nelson, preferi o deboche, o humor sarcástico, a possibilidade de as pessoas verem e pensarem ‘será que posso rir disso’? Não quis nada que já foi televisionado, mas algo mais moderno”, explica.

Leques

A história desenvolve-se em meio a sons de violinos e bater de leques. Isso mesmo. Os leques se transformarão em instrumentos musicais nas mãos de todo o elenco, além de ser um sinal de que o personagem se transforma em outro durante a apresentação. “Os leques, além de marcar o tempo na comédia, são usados para apagar o fogo proibido dos personagens. Lembra também os morcegos, a língua humana, o ato de sugar. Tudo que lembre fofoca e o que é proibido”, explica o diretor.

Todos, com exceção do pai de Alice, usam saias, independente de serem homens ou mulheres. Já que o elenco, menos Alice e seus pais, se transformam em vizinhas fofoqueiras no decorrer da apresentação.

Outro fato interessante é que os nomes dos personagens são homônimos de parentes dos atores da peça, já que a pesquisa para montagem do espetáculo foi feita em cima de fotos de família. “Toda família tem problema, mas em foto está todo mundo rindo. Aí ficamos tentando desvendar os olhares, a postura e assim descobrir o que estava escondido em cada imagem”, finaliza Ribamar.

Foto:Divulgação
Grupo Os Ciclomáticos Cia. de Teatro

Ficha técnica

Grupo: Os Ciclomáticos Cia. de Teatro (RJ)
Texto e direção: Ribamar Ribeiro
Elenco: Renato Neves, Juliana Santos, Fabíola Rodrigues, Alana Lial, Carla Meirelles, Fernando Alves, Fernando Kleis, Getulio Nascimento, Gisele Flor, Júlio Cesar Ferreira, Malu Saldanha, Mauro Carvalho e Nívea Nascimento
Duração: 1h30
Classificação etária: 16 anos.

Serviço: a peça “Sobre Mentiras e Segredos”, do grupo Os Ciclomáticos Cia. de Teatro, será encenado hoje, em única apresentação, às 20h, no Teatro Rondon Pacheco (rua Santos Dumont, 517). Ingressos à venda no teatro a partir das 16h. Valores: R$ 5 (R$ 2,50 – meia-entrada). Doe um litro de leite e pague meia-entrada. Confira toda a programação da Mostra no site www.correiodeuberlandia.com.br

Um comentário:

^^ disse...

Olha tenhu 19 anos, quero muito atuar em um peça teatral nunca participei de nenhuma mais acho que tenhu sim capacidade de atuar, gostaria de fazer cursos testes, ou que pelo menos alguem me indicasse onde ir em uberlândia ou o mais proximo daqui.

manda por e-mail alguma resposta grato.
renato130890@hotmail.com